terça-feira, 10 de junho de 2014

Falar sozinha





Falar sozinha

Trazes contigo aquele cheiro enjoativo de música barulhenta, cigarros e sorrisos perdidos. Terás de lavar essa roupa e a cara também precisa de uma boa ensaboadela, deita-te e descansa que  já é quase amanhã Dorme, depois organizas o que não trouxeste dentro de ti. Dói-te, um bocadinho, pois dói. Adiante. Arruma o quarto, os sapatos do miúdos e prepara alguns exercícios de Alemão (não sabes Alemão? Copia, vai à net, inventa. És mãe, não és?), de Português, um horário de trabalho, não te esqueças da listas compras, tens de telefonar ao teu amigo que fez ontem anos, ter um pouco de paciência e explicar aos teus pais que ir ao Algarve nos feriados de Junho está fora de questão, alegra a tua mãe e diz-lhe que os agapantos já floriram, insiste e explica-lhe - como se estivesses a convencer-te a ti própria – que a solidão é uma boa companhia, mas não te esqueças de lhe dizer que já te organizaste tão bem que na próxima vez que fores de fim de semana, levarás as caixas, a geleira e aquelas placas que se congelam para conservar a comida congelada  que trazes quando lá vais. Tens de arrumar a gaveta da secretária, porque desapareceu um boletim de vacinas e não te lembras onde puseste as fotografias do verão passado. A tua principal preocupação, neste momento, são os exames dos miúdos, o texto que tens em mãos e não te podes esquecer das consultas que marcaste. Lava muito bem a alma com que saíste à noite e não deixes a roupa preta ao sol. Lembra-te que nos tempos mais próximos não poderás comprar nenhum livro, nem um par de sapatos e esquece os cds. Já ouviste todos os que compraste nos últimos meses? Então de que estás à espera? Habitua-te a ouvir rádio, talvez te alegres, e sonhes com os programas que já fizeste e escreveste – os sonhos são teus, podes sonhar o que muito bem entenderes! O miúdo faz anos dia onze e ainda não sabes o que lhe vais oferecer, porque ele ainda não pensou muito no assunto, isso é o que ele diz: tu já percebeste há muito tempo que o Sudoeste é a sua primeira escolha. Não fiques a pensar muito naqueles sons que ele chama música e está sempre a querer que tu oiças, não te preocupes começou a ouvir música clássica muito cedo, adormecia ao som de Chopin e a voz do pai a contar-lhe a Odisseia, agora David Guetta é o  Noturno e “a aurora de róseos dedos” só fará sentido na Zambujeira do Mar. A próxima luta é convencer o pai que a música não começa, nem termina com Bach e que o todo o trabalho deve ser recompensado. Amanhã é feriado e não te podes dar ao luxo de dormir, um pouco, até mais tarde, porque quando eles chegarem esfomeados e a cheirar a pés, tens de ter o almoço pronto, as compras feitas, a roupa estendida, e, se te portares bem, ainda os convences a ir à feira do livro, já sabes que não podes comprar livros, mas podes passear pelo Parque Eduardo Sétimo e olhar o Tejo, ao fundo. Largo e livre. Não conseguirás ignorar os Santos Populares, os casamentos de Santo António, que tu achas uma tradição muito salazarenta, as marchas, arraiais, mastros e sardinhas assadas para turistas. Aguenta, tem paciência! A sardinha assada para ti é na Ria Formosa com jarros de sangria, salada de tomate e pimentos assados e amigos a dizerem disparates. Manias! Olha, convida os putos (ai, se eles me leeem!) para comer caracóis, mas pensa num sítio sossegado "sem dá cá um balão para eu brincar”, vai às páginas amarelas on-line. E, agora , olha para as horas ? Dormirás muito pouco, pões –te,  para aqui , a falar sozinha, e é o que se lê.

(Ouve lá, queres um gajo para quê? Não estás exausta? Estás a falar há mais de uma hora. Achas que te apeteceria adormecer ao som de uma roncadela vigorosa à benfiquista? Sim, os do Sporting também roncam, é tudo igual….Vai para a cama e deixa de acreditar no viveram felizes para sempre dos filmes da Disney. Na Audery Hepburn e no Robert Redford, pensas que a vidinha deles era muito diferente da tua? A vidinha, é da vidinha que estás a falar….das pessoas. Eram atrizes e atores, muito bonitos e desempenharam bons papéis, e tu és o quê?)

E, agora, vou-me embora, estou cansada. A roupa ficará para mais logo!

 


2 comentários:

  1. Estive a ler o seu texto "Falar Sozinha" e continua a maravilhar-me a forma como, em duas pinceladas, consegue fazer das nossas frustrações quotidianas e, até, das contenções orçamentais coisas interessantes. Ao lê-la, revejo-me um pouco na tal "vidinha " de que fala, que não é mais do que frustração dos imensos sonhos juvenis que construímos para nós próprias e dos quais despertamos com uma mera necessidade de pôr o almoço na mesa, que parece ser o grande objetivo das mulheres da nossa geração, o grande entrave à nossa tão sonhada liberdade.
    Passo grandes temporadas sozinha em casa e, quando isso acontece, proíbo-me a mim mesma de pôr almoços na mesa: caixinhas de "take away" e micro-ondas têm um inimaginável poder libertador!.. Ao fim de algum tempo, volto a ter saudades de pôr comida na mesa a alguém. Mas o ser humano é assim!...
    Obrigada por mais um bom texto.

    ResponderEliminar